Arquivo anual 2017

Porinterliguemidias

As 10 celebridades da mídia mais influentes do Brasil

A união entre diversas mídias, chamada convergência, é cada vez mais evidente na vida dos brasileiros. A televisão, que ocupa os lares do país há 57 anos, cede espaço a outras telas. Por isso, a popularidade de alguém pode ser medida de várias formas, como o número de seguidores, curtidas e comentários nas redes sociais.

Essa realidade foi confirmada em pesquisa divulgada pelo Google nesta semana. Segundo os entrevistados, a personalidade mais influente do Brasil, pela primeira vez, é um youtuber: Whindersson Nunes. E mais: dos dez primeiros colocados, cinco são produtores de conteúdo exclusivamente para a internet. 

Ou seja, cada vez mais, o público se identifica com os “famosos virtuais”, que ficaram conhecidos na web antes de passarem por mídias mais tradicionais, como a televisão. Retratos da Fama mostra quem são estes influenciadores e os motivos para tanto sucesso. Confira!

1º) Rei do Youtube

whindersson nunes, youtuber

Foto: youtube / Reprodução

Mas afinal, o que faz de alguém um “influenciador”? De acordo com a pesquisa, dois fatores principais são levados em conta pelos entrevistados: originalidade e senso de humor. A personalidade que figura no topo da lista tem essas duas qualidades de sobra. Aos 22 anos, Whindersson Nunes é considerado o rei do YouTube. 

Com mais de 23 milhões de inscritos em seu canal, o piauiense conquistou o público com sua irreverência e tiradas hilárias, além de paródias e críticas de filmes. O público se identifica com a fala simples do garoto humilde, nordestino, que fala coisas engraçadas, mas também faz refletir sobre algumas questões sociais. 

Humor

Whindersson é um tipo de “personagem” que não existe na televisão, a não ser de forma escrachada. Sendo ele mesmo, conquistou uma legião de fãs e admiradores. O jeito brincalhão fica evidente também no papo de Whindersson com Retratos da Fama, por e-mail.

Questionado sobre ser o primeiro lugar na pesquisa, ele responde, sem falsa modéstia: 

— Acredito que o segredo é a minha beleza, pois eu tenho certeza que as pessoas me seguem e me assistem por ser esse deus grego.  Ah, acho que é por causa da simplicidade também, sempre procuro fazer tudo para agradar todo mundo, não excluo ninguém.  

2º) Faro digital

rodrigo faro, apresentador

Foto: Eduardo Martins / AgNews

Metade da lista de influenciadores divulgada pelo Google é composta de nomes consagrados na televisão. O segundo colocado é Rodrigo Faro que, há quase 10 anos, abraçou o desafio de ser apresentador na Record. 

A aposta deu certo, a julgar pelo carisma desse paulistano de 43 anos, que já foi cantor, modelo, apresentador de programas infantis e galã de novela. Os números nas redes sociais falam por si.

Faro coleciona mais de 10 milhões de seguidores no Instagram e quase 2 milhões no Facebook. E foi no Instagram que ele celebrou o segundo lugar na pesquisa:

“O que dizer disso meu Deus?!?!?!? Nunca imaginei na minha vida que um dia iria poder, de alguma forma, influenciar positivamente tantas pessoas no nosso país!! Muito obrigado pela confiança, carinho, respeito e amor por mim e por toda minha família”, postou.

Casal no ranking

taís araújo e lázaro ramos, casal, atores

Foto: Instagram / Reprodução

3º) Lázaro

Medalha de bronze na lista do Google, Lázaro Ramos dispensa apresentações. Ator consagrado, carismático e engajado em causas sociais, ele está à frente de um novo e ousado projeto, o Lazinho com Você, um misto de programa de TV, rede social e comunidade online que irá ao ar a partir de dezembro, na Globo, mas já está disponível na internet, em lazinhocomvc.com.br.

4º) Taís 

Tão popular como o maridão, Taís Araújo vem logo em seguida no ranking. Dinâmica e participativa nas redes, ela se desdobra entre os papéis de mãe, esposa, atriz, influenciadora digital e apresentadora. Ela é uma das integrantes do atual time do Saia Justa, no GNT, programa conhecido por levantar bandeiras e discutir polêmicas.

5º) Mamãe youtuber

flavia calina, youtuber

Foto: Facebook / Reprodução

Uma das surpresas da lista é Flavia Calina. Em 2009, ela criou um canal no YouTube para dar dicas de maquiagem. Mas foi com as dicas sobre maternidade que Flavia se tornou influente no mundo digital. 

Enquanto se dedica à criação dos filhos, Henrique, nove meses, e Vitória, três anos, a mamãe e educadora de formaçao compartilha com seus seguidores as dores e as delícias da maternidade. O canal já tem mais de 4 milhões de inscritos e os vídeos publicados chegam a ultrapassar 10 milhões de visualizações. 

Tem mais influneciadores no páreo!

6º) Juliana Paes 

Juliana Paes

Foto: Raphael Castello / AgNews
 

Vivendo a perigosa Bibi no horário nobre, Juliana Paes levou o quinto lugar na lista e conquista uma gama de seguidores – 10,2 milhões, mais precisamente _ com suas postagens nas redes sociais. Além de um pouco de sua intimidade, acompanhada de perto por fãs, ela ainda mostra cliques sobre o que rola atrás das câmeras. 

7º) Paolla Oliveira

Paolla Oliveira na coletiva de lançamento de A força do Querer

Foto: Wallace Barbosa / AgNews

A atriz completa a dobradinha do horário nobre na lista: ela interpreta Jeiza na novela das nove. Com os 7,7 milhões de seguidores, Paolla divide seus trabalhos, os bastidores da novela, mensagens positivas e também algumas causas com as quais se engaja, como o feminismo e a defesa da Amazônia.

8º) Julio Cocielo

julio cocielo, youtuber

Foto: Instagram / Reprodução

Criador do Canal Canalha, com mais de 13 milhões de inscritos, é considerado um dos youtubers mais polêmicos por conta do vocabulário chulo e consumo de bebidas alcoólicas nos vídeos. 

9º) Felipe Castanhari

Felipe Castanhari

Foto: Reprodução / YouTube

Começou o Canal Nostalgia em 2011, com temas que remetem à infância dos anos 80 e 90. Está perto de alcançar os 10 milhões de inscritos no YouTube.

10º) Felipe Neto

O humorista Felipe Neto.

Foto: Divulgação / Divulgação

Fundou o canal Não Faz Sentido em 2010, com um conteúdo essencialmente crítico sobre a cultura pop. Desde o ano passado, adotou uma postura mais contida, e com isso, alcança quase 14 milhões de internautas

 Da internet para as livrarias

O sucesso dos youtubers ficou evidente nas últimas edições da Bienal do Livro, maior evento literário do país. Neste ano, segundo o colunista Ancelmo Góis, do jornal O Globo, oito dos dez livros mais vendidos eram de “celebridades virtuais”. Felipe Neto, com mais de 13 milhões de seguidores no YouTube, encabeça a lista dos sucessos literários de 2017. 

Foto: Divulgação

— Não importa tanto o que esses caras estão dizendo no seu livro, não é exatamente o conteúdo

Mas ter o livro, o caderno do youtuber é fazer parte dessa comunidade de fãs (ou “fandom”, na linguagem da internet) — opina Fernanda Cristine Vasconcellos.

Esse fenômeno, explica a professora, não é novo, foi apenas repaginado.

— É a versão 2017 pras camisetas de bandas — explica a professora.

Os motivos de tanto sucesso

Para a professora de Cultura Digital da Faculdade de Comunicação (Famecos) da PUCRS e doutoranda na área Fernanda Cristine Vasconcellos, o fenômeno do sucesso de personalidades da internet – que não precisam mais das mídias tradicionais para se tornarem conhecidas — pode ser explicado pela simplicidade do conteúdo, que os aproxima do público, em especial dos jovens. Mas não é só isso.

— Outra coisa que contribui para o sucesso é a representatividade de um discurso que não encontra par na grande mídia.

Enquanto a televisão se impõe como uma mídia mais tradicional, a internet mira, exatamente, nos chamados “nativos digitais” — justamente a faixa etária participante da pesquisa — , ou seja, os jovens que já nasceram em meio aos avanços tecnológicos e buscam, cada vez mais, um conteúdo que converse diretamente com seus anseios e ideologias — diz.

Mudou a estratégia

Por outro lado, as grandes celebridades da TV, como a Xuxa e as duas protagonistas de novela das nove da lista, vêm mudando suas estratégias de contato com os fãs. Se antes, eles pareciam inatingíveis, a regra, agora, é aparecer na internet em cliques íntimos, acordando, sem maquiagem, mostrando a família e os momentos que antes só eram vistos se algum paparazzo flagrasse. 

— Se a gente for lembrar, antigamente, jamais a Xuxa respondeu a uma das nossas cartas, mas, hoje, ela responde a quase todos os comentários (ou grande parte) no Instagram — ressalta Fernanda.

PESQUISA DO GOOGLE PELO BRASIL

A pesquisa Influenciadores 2017 – Quem Brilha na Tela dos Brasileiros entrevistou, entre maio e agosto deste ano, 2,5 mil pessoas.

Os entrevistados tinham entre 14 e 34 anos e moravam nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil.

Eles opinaram sobre o que define uma celebridade da mídia (internet e TV) e quem são elas.

Os resultados indicaram que, para influenciar pessoas, é preciso ter originalidade e senso de humor.

Além disso, os influenciadores costumam mostrar, na internet, suas rotinas, suas casas, o que os aproxima do público.

É preciso manter uma periodicidade, quase uma rotina de postagens, além de estar presente em várias redes sociais. 

Assim, os fãs se sentem quase “amigos” de seus ídolos e mantêm o hábito de acompanhar de perto a vida deles. 

Promessa de influência

fernanda souza , canal , youtube

Foto: youtube / Reprodução

Atendendo a pedidos dos fãs, Fernanda Souza criou um canal no YouTube. Espontânea e carismática, ela conquistou 219 mil nos primeiros dias na plataforma.

Fonte: Diário Gaúcho

Porinterliguemidias

5 dicas para criar estratégias assertivas nas redes sociais

 

Para empresas de todos os segmentos, pequenas, médias e grandes, investir em publicidade sem pensar em internet é um verdadeiro tiro no pé. Por isso, tornou-se indispensável incluir estratégias para redes sociais na hora de desenvolver ações de comunicação.

Rafael Kiso, fundador da mLabs e especialista em marketing digital, ajuda a entender quais os pontos que um bom planejamento de divulgação da sua marca deve ter para impulsionar o negócio. Confira as dicas:

1- Defina objetivos

Afinal de contas, nenhuma estratégia de comunicação dá certo se você não souber o que esperar dela. Por isso, definir objetivos vai ajudar e muito na hora de desenvolver estratégias para redes sociais.

Você não arriscar a sua marca sem saber para onde isso pode te levar, não é mesmo? Ao entender o que esperar das suas ações futuras, fica muito mais fácil não apenas elaborar um plano, mas também tomar decisões favoráveis ao seu negócio.

2- Conheça seu público

Ao contrário do que muitos profissionais acreditam, o foco de uma ação de marketing não é o produto, e sim o consumidor. Por isso, você precisa ficar de olho em como ele se comporta e o que o leva a escolher a sua marca, em vez da do concorrente.

Para melhor compreender o seu público-alvo, esteja onde ele está. Preste atenção nas coisas que ele gosta ou desgosta, na forma como ele escreve e nos interesses que ele demonstra on-line. É preciso estar sempre ligado em como ele vai reagir aos estímulos dos anunciantes.

3- Entenda melhor cada rede social

Cada mídia tem um conjunto de regras diferentes; elas também têm propósitos distintos uma da outra. Nesse sentido, é necessário compreender como você pode comunicar o seu negócio de acordo, para que as suas ações fiquem mais coerentes sob o ponto de vista do seu target.

Por exemplo, você não pode passar dos 140 caracteres no Twitter. Já no Facebook, é proibido fazer promoções que exijam curtidas ou compartilhamentos para que haja um ganhador. No Instagram, não dá para postar links no texto do post.

Ou seja, é preciso adaptar as suas peças de comunicação aos formatos específicos de cada mídia, para que a imagem da sua empresa não se torne desgastante ou desagradável aos olhos do público.

4- Invista em posts patrocinados

Você pode até fazer uso dos recursos gratuitos de cada rede social. Mas todas elas possuem ferramentas pagas que podem refinar a sua comunicação e otimizar os resultados almejados pelo seu planejamento.

Além de tudo, os custos dos posts patrocinados são bem razoáveis e flexíveis. Ou seja, é possível investir o valor que você quiser, adaptando as suas estratégias ao seu orçamento. Isso sem contar que a análise dos resultados também se tornou muito mais fácil por meio dos veículos digitais.

5- Fique por dentro das tendências

O consumidor do século XXI recebe uma tonelada de informações todos os dias em seus computadores, tablets e smartphones. É importante ficar ligado em tudo que acontece on-line, para que você possa adaptar a sua mensagem às expectativas do seu target.

Por isso, esteja sempre atento ao que acontece nas mídias sociais e entenda como você pode produzir um conteúdo de qualidade e pertinente ao que seu público-alvo espera e precisa de você.

Com todas essas dicas acima, fica muito mais fácil elaborar um planejamento de sucesso para começar a marcar presença na internet. Fique sempre de olho nas novidades, pois os avanços tecnológicos podem transformar a forma como o seu público vê a sua marca, e isso deve ser refletido nas suas estratégias para redes sociais.

Fonte: Portal Comunique-se

Porinterliguemidias

A importância da comunicação no mundo corporativo

Falar em público é muito mais do que uma simples apresentação, é escolher uma postura, um tom de voz, a forma adequada de dizer o que precisa

A dificuldade de falar em público é uma realidade presente na vida de muitas pessoas, são comuns os casos de quem não consegue se expressar, apresentar um trabalho ou uma palestra, se posicionar em uma reunião de trabalho, independentemente do número de ouvintes. E se engana quem pensa que apenas “pessoas normais” podem passar por essa situação; muitas personalidades, como o produtor e diretor de cinema, Steven Spielberg; o fundador da Microsoft, Bill Gates e o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por exemplo, já sofreram com problemas ao ter que discursar para outras pessoas.

Falar em público é muito mais do que uma simples apresentação, é escolher uma postura, um tom de voz, a forma adequada de dizer o que precisa, é gerar transformação e conexão. Quando estamos em evidência, nossos hormônios se desregulam, ficamos nervosos e podemos sentir vários sintomas físicos, como dor de estômago, rosto queimando e suor frio, tudo isso causado por ansiedade que libera hormônios de estresse, adrenalina e nos faz ter vontade de fugir, sair correndo daquela situação negativa. Você já se sentiu assim? Se sim, saiba que é possível controlar a ansiedade e desenvolver a autoconfiança, essas são chaves importantes para falar em público.

A segurança é um sentimento construído a partir do conhecimento pessoal. Em situações de estresse, alguns indivíduos geralmente perdem esse link interno. Nesse momento os medos e as fantasias tomam conta trazendo um espaço onde o outro (ou os outros) sempre ocupa um papel de perseguidor forte, destemido, feroz e, principalmente, cruel.

Um dos caminhos para conseguir se apresentar em público é o treinamento pessoal com orientações, exercícios e feedbacks especializados e efetivos. Esse aprimoramento também é um diferencial na vida de quem busca melhorar sua performance ao falar para pequenas, médias ou grandes plateias. Os cursos que ofertam esse treinamento também auxiliam no desenvolvimento de autoestima e o fortalecimento de sua segurança interna, buscando identificar e desatar os mitos pessoais que interferem negativamente em sua autopercepção.

Saber falar em público é mais do que importante, é essencial! As pessoas precisam compartilhar conhecimentos, negociar, liderar e saber se expressar com competência. Falar com segurança, propriedade e objetividade faz com que o indivíduo marque presença e valorize o que sabe. Aquele que sabe se comunicar bem ganha mais visibilidade, mais prestígio, é melhor avaliado em suas habilidades e competências, o que pode trazer um forte diferencial na vida pessoal, no trabalho e em sua a carreira.

Fonte: Administradores

Porinterliguemidias

Cresce o número de brasileiros que só acessam a internet pelo celular

As conexões móveis são cada vez mais a principal forma de acesso dos brasileiros à internet, e os computadores são cada vez menos presentes na nossa vida. É isso o que aponta o estudo TIC Domicílios 2016, realizado pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) e divulgado nesta terça-feira, 5, pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

O estudo, realizado anualmente, mostra a penetração da internet nos lares e na vida dos brasileiros, além das formas como usamos a internet como um todo. Confira alguns destaques da edição de 2016:

  • Ao todo, 107,9 milhões de brasileiros acessam a internet. 60% dos brasileiros com mais de 10 anos já possuem acesso à rede, e 54% das casas brasileiras (36,7 milhões de residências) possuem algum tipo de conexão com a internet;
  • 23 milhões de lares usam internet de banda larga, mesmo patamar encontrado no estudo de 2015, o que indica que as conexões fixas se mantiveram estáveis no país;
  • A prática de dividir conexão com outras casas é relativamente comum: 18% das residências compartilham internet com vizinhos – isso acontece mais em áreas rurais (30%) e na região Nordeste (28%);
  • A internet móvel é a principal forma de acesso à internet para 9,3 milhões de domicílios brasileiros. De todos os brasileiros com acesso à internet, 93% usam o celular para navegar na rede – esse número subiu quatro pontos percentuais entre 2015 e 2016, mantendo a tendência de crescimento dos smartphones como dispositivo principal dos brasileiros;
  • Muita gente não tem computador em casa mas acessa a internet do mesmo jeito. Dos lares conectados, 4,4 milhões usam apenas dispositivos móveis;
  • Os computadores estão perdendo importância na hora de o brasileiro usar internet: em 2014, eles eram usados por 80% dos brasileiros com acesso à internet, e em 2016 esse número caiu para 57%;
  • A classe social influencia bastante no acesso à rede: 98% dos lares brasileiros de classe A e 91% da classe B acessam a rede. Já nas classes D e E esse número cai para 23%.

Como usamos a internet

 A pesquisa TIC Domicílios 2016 também mostrou quais as atividades feitas pelos brasileiros quando estão na internet. Como esperado, o envio de mensagens instantâneas (89%) e as redes sociais (78%) são as principais atividades, mantendo o mesmo patamar do estudo de 2015.

Mas os brasileiros também usam cada vez mais a internet para divulgar ou vender produtos e serviços – em 2012, eram 7% que faziam isso na rede, e em 2016 eram 17%.

Já o consumo de conteúdo varia dependendo de onde a pessoa mora. Nas áreas urbanas, 70% dos usuários assistem a vídeos online, enquanto nas áreas rurais a proporção é de 56%. O consumo de música é atividade feita por 64% das pessoas em áreas urbanas e 53% nas áreas rurais.

O estudo TIC Domicílios 2016 pode ser conferido na íntegra no site do Cetic.br.

Fonte: Olhar Digital

 
Porinterliguemidias

Gestão de mídias

Gerenciamento de mídias, planejamento de comunicação, monitoramento e otimização de resultados Ler mais

Porinterliguemidias

Estruturas otimizadas e interativas

Desenvolvimento de websites  responsivos e funcionais, proporcionando maior agilidade e eficiência Ler mais

Porinterliguemidias

Sua imagem em boas mãos

Criação de conteúdos, ações de integração personalizadas para impulsionar o seu negócio Ler mais

Porinterliguemidias

Proatividade e engajamento

Aprimoramento do tráfego orgânico e de marketing, aumento de credibilidade e envolvimento consistente em torno do seu conteúdo

Ler mais

Porinterliguemidias

Comunicação e estratégia

Alinhamento dos objetivos de cada projeto a eficiência de negócios Ler mais